Animais abandonados…

Segunda-feira, Agosto 3, 2015
Gatinho abandonado photo IMG_5907.jpg

[na foto os nossos gatinhos que andaram sempre de volta da caixa de transporte onde tivemos o gatinho abandonado até que o vieram buscar…]

Numa altura do ano em que tanto se fala da prevenção do abandono dos animais, é de lamentar que existam pessoas capaz de tal coisa…
No sábado os meus filhos alertaram-me para uns ruídos que vinham do terreno por trás de nossa casa. Os nossos gatos andavam agitados e realmente de vez em quando ouvia-se um miar vindo do terreno, que é cheio de árvores e arbustos.
De repente vislumbrou-se um gatinho pequeno escondido no meio do mato, muito assustado, muito magrinho, todo a tremer…
Eu e o meu filho tentámos apanhá-lo, mas ele esgueirava-se pelo mato no meio dos espinhos e das silvas e tornou-se impossível de o agarrar.
Então colocámos água e comida junto ao muro, na esperança de chamar a sua atenção e conseguir que ganhasse a nossa confiança.
Lá o conseguimos apanhar e hoje procurei aqui em Fátima quem acolhesse animais.
Nós já temos dois gatos e duas tartarugas, não posso estar a levar para casa todos os animais que me aparecem à porta, por isso contactei a GNR cá de Fátima, que muito rapidamente me “despachou” para o canil de Ourém.
Fiquei estupefacta quando, ao ligar para o canil, me disseram, exactamente por estas palavras:
“Ó menina, o rapaz que faz esse serviço de apanhar os gatos está de férias por isso não posso fazer nada…” – isto exactamente assim! Credo… tempo de férias é mesmo um tempo danado, hein!
Enfim…
Foi então que me lembrei que a Junta de Freguesia de Fátima tem uma quinta na Serra d’Aire com animais, ainda há bem pouco tempo a minha filha tinha lá ido fazer uma visita pedagógica com a escola.
Telefonei ao nosso Presidente da Junta de Freguesia, Humberto Silva, que rapidamente se prontificou a vir buscar o gatinho e a levá-lo para a quinta!
Ainda bem que todos somos diferentes, enquanto uns colocam entraves de todos os tipos, existem pessoas de bom coração que em cinco minutos resolvem logo um problema!
É de louvar!
Muito obrigada Humberto, e muito em breve iremos à quinta visitar o gatinho que certamente lá encontrará carinho e cuidado.
Se não querem os animais entreguem-os a quem trate deles, não os abandonem.
Ninguém pede para nascer, existem muitos métodos para controlar a reprodução dos animais, basta para isso um pouco de cuidado dos donos. 
Abandonar os animais é crime e se fosse punido exemplarmente certamente não aconteceriam tantos casos lamentáveis como este que, felizmente, teve um final feliz.
Mas nem sempre isso acontece…

 photo 46f41d0c-78b9-4c1f-bbe7-0a01e0ea59b0.png   photo 49fc60a5-db70-428b-92c8-b74259842dd7.png   photo dfa38055-a47c-428c-a0f4-1cbf1011ae31.png   photo def999ce-e7e0-4db6-90a4-456d99c27f4a.png   photo 8a6c7a64-d9eb-4054-8d39-d32edcd4e476.png   photo e50ae6e2-1dd0-4fdb-93a7-76f52c4c7cf2.png
Print Friendly, PDF & Email
0
4 Responses
  • Paula Vieira
    Agosto 3, 2015

    Que bom que conseguiu um lugar para o gatinho, infelizmente é o bab de todos os dias.
    Nos canis municipais, deveria haver mais cuidado, por parte de quem lá trabalha, mais afeto, mais carinho e não o pensamento retrogrado que infelizmente, se encontra em muitos desses locais.
    Beijinho.
    Paula

  • Cantinho da Partilha
    Agosto 3, 2015

    Ainda bem que esta historia teve um final feliz…há tantas que não são assim…
    Obrigada Luísa por partilhar, pois as nossas atitudes também alertam e relembraram a algumas pessoas que temos de ser mais humanos.

    Bjs
    Nina
    https://www.facebook.com/cantinhodapartilha

  • M.
    Agosto 3, 2015

    Ainda bem que existe essa quinta!
    Tenho uma amiga que recolhe alguns animais de canis (infelizmente só pode tirar alguns) e são lugares arrepiantes 🙁
    Beijinhos e ronrons 🙂

  • Diana Batista
    Agosto 3, 2015

    Ainda bem que o gatinho teve um final feliz 🙂
    Infelizmente, nos canis municipais as coisas nem sempre funcionam como deveriam. A mim aconteceu-me algo "estranho" quando encontrei o meu gato, disseram-me para fazer um apelo porque de certeza que ele tinha fugido de casa, por ser especial (tem menos uma patinha). Ainda bem que o "rejeitaram", porque assim hoje ainda o tenho comigo! 🙂
    Beijinhos

O que você pensa?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *