Jardim

Terça-feira, Junho 28, 2016

P1040975

 

Tenho no meu computador uma pasta cheia de fotografias para colocar em posts aqui no meu blog, mas a verdade é que o tempo não me permite escrever por aqui tudo o que quero!

Faço questão de todos os dias publicar um post, geralmente uma receita, mas nem sempre é fácil arranjar tempo para preparar os posts, deixar tudo agendado e pronto a ser publicado.

Bem, estas fotos que mostro hoje já foram tirados há algumas semanas, para que vejam foi num dia de chuva, por isso aparece a terra molhada 🙂

Não se compara com o calor que hoje por aqui está!

Mas agora estava aqui a organizar as fotos e a pensar que ou publicava o post já ou então acabava por perder actualidade, por isso aqui vai.

Ao lado de nossa casa temos um terreno grande que foi mantido intacto, sem construções. Tem vários tipos de árvores que já estavam no terreno, principalmente azinheiras e medronheiros, e onde plantámos também algumas árvores de fruto que, apesar de pequenas [ainda nem há um ano estão lá plantadas], já cresceram e até já deram fruto!

É verdade, já comi cerejas de uma cerejeira que temos aqui no terreno! Pequeninas mas olhem que bem boas!!!!

Temos ainda anonas [ainda só deram folhas], um pessegueiro, uma nespereira, uma nogueira, uma laranjeira e uma romãnzeira.

É um terreno bem fértil, tanto que as ervas crescem assim à bruta! E eu detesto ver terrenos com ervas altas 🙂

Bem, mas não é acerca disso que vou falar, mas sim sobre as extremidades do terreno com a calçada.

Eu gosto de entrar num espaço e ver as coisas arranjadas e limpinhas, dá um ar mais aconchegante, é logo a primeira impressão que se tem numa casa. E ao entrar no portão grande de nossa casa a vista é a que as fotos apresentam, pois é mesmo ao lado da garagem.

Sempre que estava no carro parada à espera que o portão abrisse ou fechasse olhava para aquele terreno e achava que precisava ali de um arranjo.

Já tinha lá colocado o espaço para as tartarugas, que vos mostrei AQUI.

E ao lado tinha alguns vasos com plantas que tinha trazido da nossa casa antiga.

Meti mãos à obra e o resultado começa a aparecer 🙂

Vou fazendo aos poucos, conforme o tempo e conforme a vontade! Há umas semanas atrás esteve o tempo mais fresco e com chuva e eu funciono bem com esse tempo assim. Aliás para jardinagem é o melhor tempo. Agora com este calor abrasador confesso que pouco tenho feito pois mesmo à tardinha está calor, e este tipo de trabalho eu faço depois do jantar ou aos fins de semana.

Retirei as plantas e flores dos vasos e coloquei directamente na terra, a delimitar coloquei umas pedras que já estavam no terreno.

Tenho uma grande mistura de flores e plantas, desde um loureiro que trouxe de casa dos meus Pais e pegou muito bem na terra, alfazemas e alecrins que tinha na casa antiga e que estiveram quase a morrer mas que agora estão bem crescidos, uma rosa albardeira [comum aqui na zona de Fátima], várias flores que a minha Avó me dá [cada vez que lá vou trago algum pé com raíz para plantar!] e até algumas ervas aromáticas.

Tive ainda uma oferta que adorei de uma seguidora aqui do meu blog, que tal como eu também é de Tomar, a Ana, que me deu tomateiros mini, um girassol [que não sei se sobrevive, está tão murchinho…], suculentas e mais algumas plantas que assim que começarem a florir eu mostro 🙂

 

P1040976

 

P1040977

 

P1040978

 

P1040979

 

Antes de plantar coloquei um substrato na terra e por cima casca de pinheiro, para tentar que não nasçam ervas daninhas [será que funciona???]

Tenho ainda morangueiros, gladíolus, coroas imperiais [pelo menos foi o que me disseram que se chamavam…].

Nestas fotos ainda não estavam abertas mas coloquei uma foto AQUI no meu facebook em que aparecem já abertas.

 

P1040981

 

P1040982

 

Na foto abaixo, em primeiro plano aparece a Rosa Albardeira que já não tem flor mas mostrei AQUI uma foto dela com a flor no seu esplendor.

Aparecem ainda uns craveiros que na altura ainda não tinham flor mas que agora já floriram, e cheiram mesmo bem.

Depois aquela flor vermelha que tem uma flor virada para cada lado a minha Mãe chama-lhe “Nora e Sogra” 🙂 não sei o nome real dela, se souberem digam-me por favor.

As flores lilás trouxe da minha Avó, também não sei o nome delas mas a minha Avó diz que são flores de cemitério [parecem de papel, são super resistentes], aguentam muito bem as temperaturas quentes e os terrenos agrestes, em casa dos meus Avós existem em grande quantidade. Creio que há em lilás e em branco, mas eu só tenho lilás.

 

P1040983

 

A foto das coroas imperiais já abertas:

 

13502557_1105613039495885_1309762649517624116_o

 


Fotos: Panasonic Lumix DMC-TZ70EG-K

Print Friendly, PDF & Email
4
12 Responses
  • Vânnia Costa
    Junho 28, 2016

    Está a ficar muito bonito o jardim, aos poucos vai se fazendo. As flores “Nora e Sogra”, aqui na minha zona chamamos-lhe “Amor D’Homem”, a explicação que dão é que a flor só dura um dia, por isso tem esse nome 😉 As flores lilás são as “Statises” ou vulgarmente conhecidas aqui como “Flores de Papel”, porque parecem mesmo de papel, também existe em amarelo e rosa clarinho, mas as mais vulgares são as lilases, os mais antigos tem o hábito de as cortar e secar e depois nos meses em que não há flores usam essas no cemitério. Gostei muito dos pezinhos de alfazema, também ando a ver se encontro para fazer um canteiro aqui em casa. Beijinhos e boa jardinagem.

    • Luísa Alexandra
      Junho 29, 2016

      Vânia mas a minha flor está aberta bastante tempo, não é só um dia… será mesmo a que falas?
      A minha Mão diz que se chamam “Nora e Sogra” porque estão de costas voltadas 🙂

  • Patrícia Silva
    Junho 28, 2016

    Olá Alexandra, sou uma seguidora sua de bem pertinho, Ourém.
    Gosto muito de ver os seus posts e já segui algumas dicas suas.
    Por acaso, desta vez posso ajudá-la em relação à flor “Nora e Sogra”, o nome delas é Amarilis e existem de várias cores, simples ou dobradas.
    São um encanto, pena durarem pouco tempo abertas.

    • Luísa Alexandra
      Junho 29, 2016

      Obrigada! Gosto muito dela porque cresce bastante e é bem vistosa 🙂

  • Fernanda Gonçalves
    Junho 28, 2016

    olá Luísa boa noite, já sigo o teu blog há algum tempo embora nunca tenha te contactado. Eu penso que esssa flor que a tua mãe chama de sogra e nora seja a Amarilis. Beijinhos

    • Luísa Alexandra
      Junho 29, 2016

      Obrigada. Estive a pesquisar na net com esse nome e realmente é muito semelhante, deve ser mesmo! Beijinhos

  • Mary
    Junho 28, 2016

    Olá Luísa,

    muito bonito o seu jardim mix 😉
    só precisa de ter cuidado com as regar porque a diversidade exige regas em quantidade diferente,
    e a ideia de colocar as pedras a delimitar as diversas áreas é muito boa!
    apesar de não ter certeza, acho que a flor vermelha, chama-se amarilis vermelha …
    o cantinho das tartarugas assim com a cerca está muito mais seguro 😉
    como faz no inverno, elas ficam no exterior ???
    É de louvar, tanto trabalho, coragem!
    Bjs

    • Luísa Alexandra
      Junho 29, 2016

      Mary, o “lago” exterior das tartarugas já o temos desde que viemos morar para esta casa, pois as tartarugas estavam mesmo muito grandes e já não as conseguia ter em casa com comodidade, aliás elas sempre gostaram de estar na rua a apanhar sol 🙂 Nos meses de mais frio não consigo deixá-las assim completamente ao relento e coloco a banheira delas na zona da nossa churrasqueira, que é abrigada contudo apanha bastante sol.

  • Madalena
    Junho 29, 2016

    Olá Luísa Alexandra.
    Antes de mais dizer que adoro o seu mini jardim e vamos torcer para que não nasçam ervas daninhas no meio.
    Em relação à flor vermelha que tem uma flor virada para cada lado aqui na minha freguesia que fica em vila do conde há quem lhe chame castelo, mas não sei se é o nome verdadeiro, acho engraçado em cada lugar ter um nome diferente.

  • Madalena
    Junho 29, 2016

    Olá Luísa Alexandra.
    Antes de mais quero dizer que adoro o seu mini jardim e vamos torcer para que não nasçam ervas daninhas no meio.
    Em relação à flor vermelha que tem uma flor virada para cada lado aqui na minha freguesia que fica em vila do conde há quem lhe chame castelo, mas não sei se é o nome verdadeiro, acho engraçado em cada lugar ter um nome diferente.

  • Raquel Alabaça
    Julho 1, 2016

    Gosto muito de ver jardins com o contraste de terra, flores, pedra e cascalho ou até gravilha. O teu está muito simpático, é logo uma boa recepção para quando se entra em casa. Para separar um pouco a vista do terreno que tens, que é mais bravio, porque não colocas uns arbustos a fazer a divisão, ou umas trepadeiras em estacas? O aborrecido é que têm sempre que ter manutenção e às vezes não queremos mais trabalho extra!!

    Adoro suculentas e aqui na minha zona dão-se muito bem, exigem pouco trabalho e dão flores lindas que eu nem nunca tinha visto. Tenho imensas e ando sempre a fazer trocas com a minha vizinha quando descobrimos alguma nova.

    Quanto às ervas, o cascalho ajuda mas não impede que algumas ervas daninhas consigam sair!
    Boa jardinagem, tens aí um paraíso para as tartarugas 🙂

    • Luísa Alexandra
      Julho 1, 2016

      Obrigada 🙂
      Nós gostamos de ver o terreno, está fora de questão tapá-lo 🙂 Acho giro entrar e ver logo tudo, até porque dá uma amplitude à casa.

O que você pensa?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *