MSC Fantasia 2016

Quarta-feira, Maio 31, 2017

 

 

 

Tenho vindo a adiar os posts acerca das nossas férias deste ano por uma razão apenas: são tantas as fotos que tenho que não sei as que escolher para vos mostrar 🙂

Pois então as nossas férias de verão deste ano foram passadas a bordo de um cruzeiro.

Foi a primeira vez que tivémos esta experiência, e escolhemos uma rota que fosse agradável tanto para mim e para o meu marido como para os nossos filhos.

Barcelona foi o local de embarque, de onde seguimos para Ajaccio [Córsega – França], Nápoles [Itália], La Spezia [Itália] , Génova [Itália] , Cannes [Côte d’Azul –  França], Palma de Maiorca [Ilhas Baleares – Espanha], Barcelona [Espanha].

 

 

Fotos acima: viagem de avião Lisboa – Barcelona

Fotos abaixo: entrada no cruzeiro em Barcelona

 

 

 

Sete dias em que conhecemos locais fantásticos e vivemos momentos muito agradáveis. É o máximo adormecer num país e acordar em outro, locais completamente diferentes, pessoas completamente diferentes, culturas diferentes. E tudo isto acontece durante a noite.

O navio viaja toda a noite, e nós praticamente não damos por isso, é como se estivéssemos em casa a descansar e como por magia acordamos num local diferente 🙂

Viajamos pela MSC, no navio Fantasia. Tem capacidade para 4.363 passageiros e ainda 1.370 membros da tripulação.

Com a tonelagem bruta de 137.936 toneladas, tem o 333,30 metros de comprimento,  37,92 metros pós-Panamax de largura e 66,80 metros de altura.

Podem ver todas as especificações do navio em http://www.msccruzeiros.pt/pt-pt/Navios/MSC-Fantasia.aspx

Resumindo o navio é um pequeno mundo à tona de água 🙂

Tem de tudo um pouco: quartos, restaurantes, bares, discoteca, clubes, SPA, salão de beleza com cabeleireiro e esteticista, ginásio, piscinas e zonas lúdicas, até um ringue para futebol!

Foi a primeira vez que viajámos num cruzeiro de tão grande porte, pelo que era tudo uma novidade. No geral gostámos de tudo, evidentemente que é uma viagem excitante, estar assim num barco tão grande é incrível, eu achei a experiência o máximo. Depois pela parte dos locais que nos permite visitar, dependendo sempre da rota que se escolha.

Para quem goste tanto do barco que não queira sair tem a possibilidade de ficar sempre a bordo; para quem queira aproveitar para visitar os locais onde o navio fica ancorado pode sempre escolher entre várias excursões que são organizadas e às quais temos acesso mesmo antes de embarcar. Ou seja assim que se escolhe o destino onde se pretende ir já nos dão um roteiro que indica todo o tipo de passeio que é organizado e respectivos valores. São dispendiosos, dependendo dos locais que se visitam, eu escolhi apenas os que realmente achei interessantes para a nossa família, mas fica bastante caro para quatro pessoas fazerem todos os passeios em cada sítio que o barco ancore. Eu bem gostava de ter ido conhecer mais coisas, mas há que estabelecer prioridades e foi o que fizemos, escolhendo destinos que nos interessassem verdadeiramente e sobre os quais irei falar detalhadamente em outros posts.

Ficámos num camarote para 4 pessoas, com uma cama grande de casal e um sofá cama onde os meus filhos dormiam. Tínhamos uma pequena casa de banho, e quando digo pequena é mesmo no real sentido da palavra 🙂 O quarto tinha ainda uma varanda muito agradável onde passei vários momentos a olhar para o infinito do mar, é tão bom e relaxante!

Sendo um navio assim tão grande não se nota a ondulação do mar. Houve apenas uma noite, muito má por sinal, em que o navio navegou numa zona em que realmente era muito desconfortável, eu andei enjoada, super mal disposta, praticamente não dormi nessa noite pois a sensação que tinha quando estava deitada era de que estávamos a passar por ondas gigantes, na verdade não era nada disso pois eu vinha à varanda e notava apenas uma ligeira ondulação, mas não sei explicar o porquê de sentir tanto o barco a mexer, foi a única vez que aconteceu. O meu marido e os meus filhos dormiam que nem anjos e eu andei ali a noite inteira à janela para ter a certeza que era apenas a minha imaginação, pois o que sentia era mesmo muito incómodo…

Na parte do quarto é tudo realmente muito pequeno, mas é compreensível que assim seja. E praticamente apenas se está no quarto para dormir, pois há imenso que fazer no navio. A água do duche era bem quentinha, como eu gosto, todos os dias o quarto era arrumado pela equipe de limpeza, não tenho razão de queixa. Só não gosto de chão com alcatifa, mas em grande parte das zonas do navio era assim. Eu não acho higiénico mas é mesmo implicância pessoal, nunca gostei de alcatifas.

Na parte da comida existe uma grande variedade. Muitas frutas e legumes, saladas, imensas qualidades de pão e pizzas que eram feitas à nossa frente, acho que era uma das especialidades deles pois estavam sempre a cozer pizzas 🙂 Havia também sempre sopa, carne, peixe, comida tipo fast food, outra mais saudável, satisfazia todos os gostos.

Nós optámos por incluir as bebidas no valor individual de cada um, e por isso tínhamos bebida à descrição. O sistema que escolhemos, Áurea, incluía as bebidas. Pode optar-se por pagar as bebidas á parte [não aconselho pois são caras…] ou comprar packs de bebidas. Cada pessoa terá que ver o que mais convém.

O navio tem imensos bares onde servem as bebidas, incluindo bebidas alcoólicas, mesmo cocktail. Ou simplesmente água. Ah outra coisa que acho importante e para a qual fui alertada é o facto de se ter atenção ao que se bebe. Eu avisei os meus filhos e só bebiam bebidas engarrafadas ou de lata. Principalmente água sempre optar por água engarrafada. Mas esse é um cuidado que tenho sempre que saímos do País e que acho importante ter em atenção.

Comida e bebida é aliás algo que não falta neste tipo de cruzeiros, por isso quem queira ter acesso a tudo à descrição o melhor é optar por pacotes mais completos. São mais caros, é verdade, mas fazendo as contas no final fica mais barato do que pagar tudo à unidade, acreditem. Por exemplo quando saíamos nos passeios cada um de nós levava uma mochila com águas e algo para comer, peças de fruta, croissants, sandes simples, frutos secos. Tudo isto podíamos trazer do buffet e levar para o quarto ou para o exterior do navio nas saídas.

Sempre que se sai do navio passa-se por um controlo individual em que se tem que apresentar o cartão que nos acompanha desde que entramos no navio. Para sair basta mostrar o cartão, para entrar já é necessário abrir mochilas e mostrar tudo o que se traz do exterior. Para que tenham uma ideia da intensidade do controlo no passeio que fizémos a Pompeia eu comprei uma caveira em pedra e um punhal decorativo. Antes de entrar no barco tive que abrir a mochila para mostrar o que levava e o punhal ficou apreendido e guardado no cofre do navio, só no dia do desembarque o pude levantar. Acho que também não se podia levar bebidas alcoólicas para o navio, mas não estou bem certa disso. Havia uma série de itens que estavam proibidos. Não achei que um punhal decorativo [que nem lâmina de corte tem…] pudesse ser assim retido, mas é só para terem uma ideia do cuidado que eles tem com tudo o que entra no navio. O que eu acho muito bem pois nunca sabemos quem nos acompanha na viagem e hoje em dia todo o cuidado é pouco…

Todos os dias há um espectáculo diferente no teatro do navio. Assistimos a todos, uns mais interessantes que outros, maioritariamente com danças e coreografias dos mais variados temas. É giro e uma excelente maneira de entretenimento.

Pela noite fora também há bares e discotecas abertas, nós somos apenas conhecer os espaços mas nunca ficámos assim all night long 🙂 Mas quem queira aproveitar a noite inteira tem animação suficiente no navio.

 

Deixo-vos agora algumas fotos e respectiva explicação 🙂

Ainda no cais de Barcelona, enquanto esperávamos que o cruzeiro zarpasse.

Entrámos no navio perto da hora de almoço, pelo que almoçámos já lá dentro.

A zona de almoços serve também os pequenos almoços e lanches e está aberta durante a maior parte do dia, sempre com comida diversa.

 

 

 

 

As bebidas são escolhidas à parte e trazem à mesa, como eu já referi nós optámos pelo sistema de bebidas incluídas, a cor da nossa pulseira indicava todo o tipo de serviços a que tínhamos acesso.

 

 

 

Nas fotos seguintes pode comprovar-te a grandiosidade da decoração do navio.

É tudo muito “bling bling” 🙂 com imenso brilho e dourados e cristais 🙂

Esta escadaria é a do casino.

Íamos lá apenas de passagem e quase sempre durante o dia. Nos primeiros dias experimentei ir lá depois de jantar e muito sinceramente não é ambiente que me agrade, muito menos gosto que os meus filhos o frequentem, mas evidentemente são opções 🙂 O jogo a mim não encanta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Logo ao lado do casino tem uma sala de jogos:

 

 

 

 

Uma das escadarias pomposas do navio, na zona dos restaurantes e bares:

 

 

Uma parte do topo do navio era onde se encontrava a discoteca. As fotos foram tiradas durante o dia, por isso não estava mais ninguém além de nós, mas durante a noite estava sempre cheia.

Também tinham uma discoteca para crianças/adolescentes, que abria creio que às 21H00 e fechava às 24H00.

 

 

 

 

No navio existem várias lojas de produtos vários, praticamente só com produtos de marcas famosas. Por exemplo para os produtos de beleza os preços eram bem mais baratos do que os praticados cá em Portugal.

 

 

O Cappuccino era o bar onde íamos sempre beber café.

Tinha o melhor café do navio, e um ambiente muito acolhedor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Manhattan Bar, muito colorido e também muito frequentado à noite. As fotos que tenho do navio são praticamente todas tiradas durante o dia, pois era quando o navio tinha pouca gente e eu podia fotografar à vontade 🙂

 

 

 

Descida triunfal pela escadaria 🙂

 

 

 

 

Antes do jantar tomávamos sempre um cocktail no bar perto do restaurante.

Tinham várias sugestões diferentes, desde opções sem álcool para os miúdos aos cocktail’s mais compostos para os adultos.

Eu experimentei um diferente todos os dias 🙂 🙂 🙂

 

 

 

 

 

 

Chegando à parte do jantar, todos os dias tínhamos sugestões diferentes.

Ao contrário do almoço, em que cada um se servia com o que queria, o jantar era uma refeição mais calma, no piso de entrada do navio, ao nível do mar [a zona de almoços era no 14º andar].

O espaço está muito bem decorado, com imensa classe, e as refeições são cuidadosamente servidas já empratadas, tudo com muito bom aspecto.

O colaborador que estava encarregue de servir a nossa mesa era uma simpatia e contava imensas coisas acerca do navio [em inglês], aprendemos muito com ele e realmente a simpatia de todos os colaboradores do navio é de louvar.

Não fotografei todas as refeições, pois evidentemente não andava todos os dias com a máquina, mas deixo aqui algumas fotos de uma das refeições.

As duas primeiras são as entradas, depois a minha escolha que foi o prato vegetariano.

Havia sempre opções de carne, peixe ou vegetariano. Também tinham opções para crianças.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A foto abaixo foi tirada no elevador panorâmico.

Em certas zonas era aberto e via-se os andares, nas zonas mais altas era fechado.

No momento da foto estávamos no 14º andar.

 

 

Todas as noites, depois do jantar, fazíamos um passeio pelo deck do navio.

Como nós escolhemos a primeira hora do jantar, creio que era das 20H30 às 21H30, quando terminávamos o nosso jantar era quando o ambiente começava a ficar mais barulhento dentro do restaurante que servia os jantares mas na zona exterior estava muito calmo.

Aproveitávamos então para relaxar, passear e ver tudo com calma e descontração.

O navio tem mesmo imensas coisas que só nos apercebemos com a continuação. À primeira vista parece que vimos tudo, mas existem sempre cantos e recantos para descobrir.

 

 

 

 

Nos bares interiores e exteriores também tinham sempre animação, geralmente começava mais tarde.

Nós somos pessoas de dormir cedo, não estávamos muito tempo nesse tipo de animação.

Fomos ver alguns espectáculos no anfiteatro, os que gostamos vimos até ao fim mas muitos deles acabámos por sair pois nem sempre era ao nosso gosto.

 

 

Tive ainda oportunidade de fazer algumas massagens no SPA, todas elas super relaxantes, gostei imenso.

Nessa zona existia também uma parte com sauna e banho turco e uma zona de relaxamento onde se passavam bons momentos apenas a ver as ondas do mar e o infinito, foi uma experiência que gostei bastante.

 

 

Em próximos posts, que tentarei publicar brevemente, vou mostrar então os locais por onde o navio atracou.

Estas foram umas férias em família muito diferentes do que estamos habituados, mas que todos ficámos com vontade de repetir pois é algo realmente único.

Não acho que sejam as melhores férias que se possam ter, mas são certamente dias de muitas experiências novas, de conhecer em pouco tempo vários países, várias cidades, várias culturas, de tornar os dias de férias ricos em conhecimento. A vida num navio é algo muito interessante, realmente os navios desta dimensão são pequenos mundos flutuantes, tem de tudo um pouco.

Vale bem a pena a experiência! 😉

 

Se ficaram curiosos em ver um pouco mais convido-vos a ver este vídeo.

São os nossos momentos em família no barco e o modo como víamos todas estas novidades. Para todos nós foi a primeira vez que fizémos um cruzeiro destas dimensões 🙂

 

 

Print Friendly, PDF & Email
19
16 Responses
  • Joana
    Maio 31, 2017

    Espetacular 🙂
    É mesmo isto que levamos da vida, boas experiências.
    Luísa, vocês compraram a viagem por alguma agencia de viagens?
    Obrigada.

    • Luísa Alexandra
      Maio 31, 2017

      Joana, foi tudo tratado através da Agência Abreu aqui de Fátima. Foram eles que aconselharam esta rota e esta empresa.

  • Joana Martins
    Maio 31, 2017

    bom dia gostei muito da descrição, pois este ano vamos fazer pela primeira vez o msc poesia, também vamos ter o sistema de todas as bebidas incluídas, o que ainda não nos decidimos foi pela excursões, pois se fomos fazer todas é à volta de 1100€??? as mais baratas em cada porto, pois somos 2 adultos e 2 crianças(11,5), relativamente às excursões optou fazer sempre com a msc ou por si?obrigada,Joana

    • Luísa Alexandra
      Maio 31, 2017

      Joana, na altura em que reservas a viagem recebes logo um folheto com todas as opções de passeios e respectivos valores, mas não é necessário decidir logo o que queres. Acho que são bastante dispendiosos, ainda para mais nós eramos quatro pessoas, cada excursão rondava os 100 euros por pessoa, ficava a 400 euros por dia para nós, o que se tornava demasiado [e só com o passeio, almoços e tudo o resto é à nossa conta fora do navio…]. É melhor escolher realmente o que mais interessa até porque estou certa que há muitos passeios que não interessam tanto. Eu antes de embarcar já tinha dois escolhidos, e esses queria fazer mesmo pois eram locais que realmente gostava de conhecer e para os meus filhos era o mais interessante: Pompeia e Cinque Terre. Falarei acerca desses passeios em outros posts. Em cada porto onde o barco atraca há também aqueles autocarros de sideseeing que dá para fazer um bom passeio e fica mais em conta, foi o que fizémos. Mas eu vou falar acerca disso em próximos posts.

      • Paula Guerreiro
        Junho 1, 2017

        Viajei o ano passado no MSC Magnifica. Se a viagem que vai fazer for na Europa pesquise a empresa Shore2Shore. As excursões ficam a 1/3 do preço da MSC e passam exactamente pelos mesmos locais.
        Eramos 9 pessoas e compensou muitíssimo.
        Saudades da vida a bordo 🙂

        • Luísa Alexandra
          Junho 1, 2017

          Obrigada pela dica, já és a segunda pessoa a falar nessa empresa para os passeios 🙂 Quando voltarmos a fazer um cruzeiro terei isso em mente 😉

  • Catarina Azevedo (Sabores a granel)
    Maio 31, 2017

    Olá Luísa! Sobreviveste ao mês de Maio?! 🙂 Tudo muito giro! Até apetece, só de ver as fotos! Mas olha… Nunca vou conseguir fazer umas férias dessas. Tenho pavor de barcos e água! Só de ler a parte em que falas daquela noite da ondulação, já estava a sentir medo… Beijinhos!

    • Luísa Alexandra
      Maio 31, 2017

      Pois se não gostas nem de barcos nem de água é difícil 🙂 Mas olha que é uma experiência muito engraçada!

  • Simone coelho
    Maio 31, 2017

    Viagei este ano no MSC Esplendida (pelas fotos é muito identico ao Fantasia), a rota foi um pouco diferente, Barcelona, Marselha, Genova, Palermo e Malta. É de facto uma experiência a repetir, adorei, foi tudo simplesmente espetacular. Parabéns, o seu post refere na integra o que efetivamente vivemos e usufruimos em uma viagem destas.

  • Sara Neves
    Maio 31, 2017

    Luisa muito obrigada por este post, o meu marido anda cheio de vontade de fazer um cruzeiro e agora com as suas dicas é desta que marcamos. Bem haja! – Sara Neves

    • Luísa Alexandra
      Maio 31, 2017

      Sara, procura uma agência de viagens aí da tua zona e vê as ofertas que existem. Há também cruzeiros a sair cá de Portugal, mas não me aconselharam nenhum deles porque as rotas não são interessantes [para o que eu tinha pedido, claro…]. Eu mostrei apenas o início do cruzeiro, mas daqui a umas semanas verás que quando chegámos novamente a Barcelona [de onde o cruzeiro saiu], aproveitámos e ficámos três dias a conhecer a cidade de Barcelona, ou seja aproveitámos a viagem e acabámos por ter umas férias no navio e depois mais uns dias em Barcelona. É uma questão de veres as ofertas que existem.

  • Edite Pita
    Maio 31, 2017

    Eu também fiz um cruzeiro, com saída de Barcelona, e visitámos várias cidades, Saint Tropez, Monaco, Livorno (Florencia), Civitavenchi para ir a Roma; Napoles, Secilia em Palermo, Valetta na Ilha de Malta, Tunes na Tunisia e regresso a Barcelona. Gostei muito das cidades, mas tive um grande problema na viagem, enjoei no barco, durante a noite era horrível, não conseguia estar deitada, sempre de cabeça á roda. Adorei a viagem, mas cruzeiros, nunca mais!!!

    • Luísa Alexandra
      Maio 31, 2017

      Edite, mas acontecia todos os dias? Comigo aconteceu um dia apenas, e fui a pessoa que mais me queixei pois o resto da família praticamente não sentia o mesmo que eu 🙂

  • alcina
    Junho 1, 2017

    Olá Luísa
    Grande viagem Adoro cruzeiros 🙂 já fiz alguns e se tiver saúde farei mais 🙂
    Adoro o conceito, claro que não é uma viagem relaxante se pretendermos aproveitar o máximo e nem conseguimos ver muito dos sítios por onde vamos passando, mas ficamos com uma ideia e se pretender-mos voltar voltamos mais tarde para ver melhor se não…. fica visto 😉
    Quanto ás excursões são efectivamente caras, mas há sempre a opção de ir por sua conta e eu normalmente é o que faço, excepto se a escala é muito curta e o ponto de interesse é longe do porto, ou então o contrário, como por ex S. Petersburgo, russia, vistos…. e ainda assim fui com uma excursão contratada por uma agência local, fica sempre mais barato. Nunca marquei excursão nenhuma antes de ir
    Se estudarmos os sitios o melhor é sempre sair e ir de transportes públicos e ver ao nosso gosto 🙂 mas isso dá mais trabalho, exige alguma pesquisa. Para ajudar há foruns espanhois muito bons nisso.
    Para quem não tiver tanta experiência e prática nestas coisas o mais seguro é mesmo as do barco, porque na hora marcada ele não espera a não ser pelas excursões por eles organizadas 🙂
    Mas seja como for é uma viagem deliciosa 🙂 fico a aguardar as cenas dos próximos capítulos 🙂
    beijinhos

    • Luísa Alexandra
      Junho 2, 2017

      Alcina, este foi o primeiro cruzeiro que fizémos e no início é normal que se jogue pelo seguro 🙂 Ainda mais levávamos os nossos filhos, o que implica que eu escolha sempre os passeios que sejam mais seguros, por isso optamos por fazer sempre os que o cruzeiro oferecia. É caro, mas correu sempre tudo bem e sem percalços, todos são muito simpáticos e os guias super atenciosos. O autocarro está à saída do barco sempre a horas certas e regressa no tempo exacto, isso para mim é muito importante.

O que você pensa?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *