Placa de Indução Siemens 90 cm. [Vídeo]

Sexta-feira, Maio 19, 2017

 

Estava prometido há imenso tempo um vídeo em que mostraria a minha placa de indução 🙂

Por aqui as coisas podem tardar, mas não falham!

O vídeo é curto e fácil de visualizar, garanto que não vão passar seca 🙂 pois também não há muito a dizer acerca das placas de indução!

A verdade é que praticamente todas tem o mesmo método de funcionamento, podem é depois ter um ou outro pormenor que as distingue.

A minha placa de indução é da Siemens e é o modelo de 90 cms.

Nas minhas casas anteriores tive placa de bicos a gás [detesto…], e depois placa de vitrocerâmica, até que finalmente me virei para a indução, e, para mim, é o melhor sistema.

Pessoalmente não gosto de electrodomésticos [ou o que quer que seja] que funcionem a gás, nesta nossa casa nem sequer temos ligação de gás pois é algo que eu detesto. Acho inseguro e nunca confio em nada que funcione a gás. Manias…

Quando me casei, há 19 anos, pouco se ouvia falar de placas de vitrocerâmica. Os tradicionais bicos a gás eram o mais comum e foi realmente o que colocámos. Nunca gostei, era terrível de limpar, quando caía algum pedaço de comida era terrível de se limpar dos bicos e tinha que os colocar em vinagre sempre que os lavava. Fiquei com trauma e era mesmo algo que eu não gostava. Aliás em casa dos meus Pais ainda temos bicos de gás e eu nunca os limpo 🙂 é algo que me recuso pois não gosto mesmo nada.

Depois quando vendemos a nossa primeira casa e nos mudámos respirei de alívio pois podia finalmente mudar aquele sistema. Optei pela placa de vitrocerâmica, era a mais conhecida, a que se vendia mais e a indução ainda era pouco conhecida por aqui. Recordo-me de me dizerem que a indução tinha o enorme problema de gastar imensa electricidade e que por isso não era aconselhável [puro engano e ilusão…].

Até que um dia tive um acidente com uma garrafa que caiu em cima da placa de vitrocerâmica e a partiu, até vos falei nisso NESTE POST, já de 2010.

Nessa altura optei por comprar uma placa de indução, e foi realmente o melhor que fiz!

O sistema de indução permite cozinhar muito mais rapidamente. Dá um despacho muito maior, o que compensa depois no gasto de electricidade.

Eu não costumo controlar as factura de electricidade ao pormenor, se uma facturação vier muito mais elevada é claro que iria ver qual a causa, mas isso nunca aconteceu, por isso o factor de um maior gasto de electricidade não é válido para mim. Aliás a rapidez que tem a aquecer e a cozinhar faz com que mais depressa se cozinhe, logo está menos tempo ligada e não gasta electricidade 🙂

A parte menos boa: as placas de indução são bem mais caras e necessitam de uns tachos com fundo próprio que active a indução. Os tachos por norma são mais caros se tiverem este fundo apto para indução.

Para mim, e para o uso que eu lhe dou, compensa e muito.

Principalmente pela parte de limpeza 🙂

Este é, para mim, um factor de enorme importância na escolha do que quer que seja.

A placa de indução pode ser limpa logo quando se retira o tacho, mesmo se colocarem a mão no disco depois de desligar a placa [uns minutos depois, vá…] não se queimam. Na vitrocerâmica demora imenso tempo a arrefecer.

Mesmo quando algo cai para cima da placa de indução, enquanto se está a cozinhar, com facilidade se limpa. Eu gosto de a limpar logo depois de cozinhar, pois detesto ver a placa suja, e nota-se bem quando está suja, por isso depois das refeições limpo-a sempre. Irei fazer um post específico acerca da limpeza da placa de indução em breve 😉

Para já fica então a minha placa, e no vídeo explico o porquê de a ter escolhido:

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email
6
4 Responses
  • Andreia Cunha
    Maio 19, 2017

    Olá Luísa, quando comprei a minha placa também me falaram que o preço não compensava que gasta muita electricidade, panelas próprias e bla bla bla…
    Mas realmente as pessoas falam sem saber, foi a minha melhor compra. Estou casada quase ah um ano e aconselho a toda a gente a fazer este investimento vale realmente a pena, sim é mais cara é sim tem que ser ter as panelas próprias mas compensa sem dúvida, não estou em nada arrependida e até a minha mãe já pensa em mudar o fogão de gás dela 😁😁 (uma mãe a aprender com a filha haha)

    Obrigada Luísa por estes posts dão muito jeito e foi consigo que conheci estas placas e optei por seguir o conselho…
    Bjnhooo

    P.s- adorei o gato, faz lembrar a minha bixana que também anda sempre em cima de tudo…😉

    • Luísa Alexandra
      Maio 19, 2017

      🙂
      É mesmo isso, eu acho que as pessoas falam sem ter experiência própria com as coisas, e é isso mesmo que eu quero aqui deixar explícito, a minha experiência com os meus electrodomésticos. Não quer com isto dizer que sejam os melhores, apenas são os que eu uso e conto a minha experiência com eles. É claro que cada pessoa tem que ponderar se realmente lhes dá o uso que eu dou, ou se as suas necessidades justificam tal aquisição. Não gosto de influenciar ninguém a comprar o que quer que seja pois nestas coisas cada um sabe da sua carteira!

      • Andreia Cunha
        Maio 19, 2017

        Claro que sim, uma opinião é apenas isso uma opinião. Eu segui o exemplo de placa de indução mas um modelo mais inferior ah sua porque lá está foi para aquilo que pude pagar. Acho que é por isso que tem um blog tão seguido porque fala das suas experiências não porque é melhor apenas porque tem já uma opinião a partir daí cabe a cada um ter ideias próprias 😉

O que você pensa?

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Por favor não copiar e nem usar as fotos sem a minha autorização. Obrigada.